terça-feira, 28 de outubro de 2014

«Não entendemos bem 
as palavras, sinais e escolhas de Jesus 
na perspectiva de uma "religião", 
mas sim na lógica de um PROJECTO.»

«É possível o homem criar deuses à sua imagem e semelhança. Deuses sim, mas não Jesus, cujo caráter não é comum entre nós.»

sexta-feira, 24 de outubro de 2014


«Deus está presente, Cristo está presente, em toda parte em que um ato de virtude transcendente ocorra entre dois seres humanos.» 

Simone Weil

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O HUMANO, NADA MAIS DO QUE O HUMANO

“O mundo atinge a vida por um simples sorriso confiante, por um pouco mais de calor humano (…). O humano, nada mais do que o humano, porque o divino, não é o sobre-humano, mas aquilo que é mais raro entre os homens, o humano levado ao extremo.” 
Jean Cardonnel (*), “Deus toma partido”, Paisagem (Porto), 1971.

(*) padre dominicano (1921-2009)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

OS IRMÃOS


terça-feira, 14 de outubro de 2014

O INSTANTE


«Só nos resta o instante; só o instante nos pertence. 
Ele é o barro onde a vida se molda e descobre. (...)»

José Tolentino Mendonça, in "Mística do Instante"

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

UM GRANDE CONSELHO


"Não me leves a mal dizer isto assim mesmo: só considero digno de Fé um Deus divertido e feliz. Porque a Fé é uma Comunhão de Vida com Ele, e não há comunhão possível sem leveza e alegria, não há vida capaz na seriedade patológica de uma certa sacralidade que pouco guarda já da práxis do Nazareno. Esta minha intuição foi confirmada há uns tempos quando uma amiga minha me contou que, ao entrar na “idade casadoira”, foi chamada pela avó lá a casa. Uma avó daquelas sábias, que a tinha criado, e que sabia falar na altura certa a palavra certeira. Chamou-a para lhe dar este conselho:"Minha filha, lembra-te disto: nunca te cases com um homem que não te faça rir!” É, ou não é, um grande conselho?"

Rui Santiago Cssr, em "Estou em Crer"

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A VERDADEIRA CARIDADE


«A verdadeira caridade não consiste em chorar nem, simplesmente, em dar, mas em agir contra a injustiça.


Ser caridoso não é apenas dar, é ter sido ferido, é estar ferido pelo ferimento do outro.» 

Abbé Pierre

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A GRAÇA MAIOR

«Tenho para mim que a Graça maior que nos pode acontecer na vida é percebermos que, o que nos salva não é a ambição. Nem o ter. Nem o poder! Muito menos o comprar! (...)

ter/ser coração de pobre é viver vazio e liberto de si mesmo para, alegremente e com leveza poder debruçar-se sobre o outro, ser dom para ele e… receber-se de volta, inteiro…

É aprender a dar Graças por não ter. Um não ter que seja uma porta aberta para a generosidade e para a presença gratuita de inimagináveis irmãos que, ao visitarem-nos a vida, ficam a fazer parte dela de modo irrecusável e reciprocamente agradecido.

Quanta falta ISSO faz ao homem moderno, que habita as nossas cidades, que enche de empurrões, desalentos, angústias e triste abandono o Metro e os transportes públicos… Só quem não os costuma usar é que não dá por isso… Quantos olhos tristes e desabitados! Sem sombra de Gente dentro deles…»

Podem ler o texto completo em:http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2014/09/os-espertos-os-ricos-e-os-totos.html

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

ACREDITAS NA VIDA ANTES DA MORTE?


"O verdadeiro problema não é o de saber se viveremos depois da morte, mas o de saber se estamos vivos antes de morrer"

- Marie de Hennezel, in «Morrer de Olhos Abertos»

domingo, 21 de setembro de 2014

A ARTE DE RECOMEÇAR, COMO CRIANÇAS


Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?

João 3:3-4

«Voltar a nascer não significa regressar ao ponto de partida e começar, outra vez, tudo do zero. A publicidade tenta enganar-nos, garantindo-nos que é possível. Mas a realidade desmascara-lhe a falsidade.
Nicodemos de oitenta anos não voltará a ser Nicodemos de oito. Os ponteiros da vida não param. O que se viveu não se anula, não se apaga, nem é ideal de vida viver fazendo de conta que se vive. Ao mesmo tempo, o melhor também não é necessariamente o que ficou para trás, tal como a pele lisa do bebé e as suas mãos mimosas não são mais belas do que o rosto enrugado ou as mãos deformadas de um ancião. A beleza da vida também se diz nas marcas que assinalam o corpo, este lugar de memória. (...)

Se, como disse alguém, «o verdadeiro paraíso não é, nunca é [...] aquele perdido, mas o reencontrado», o verdadeiro nascimento será aquele que não cessa de gerar e de trazer à vida. Da velhice do coração e da mente, à infância do afeto e da imaginação. Da rigidez e do torpor dos gestos, ao estilo de vida leve e gracioso. Da conquista, a todo o custo, da terra e do céu, do tempo e dos lugares, do conhecimento das coisas e do apreço dos demais, ao reconhecimento feliz de que «a rosa é sem porquê, floresce porque floresce», «não se preocupa consigo mesma, não procura nada ser vista», como disse tão bem A. Silesius.

A infância desejável tem que ver com este ambiente vital das coisas simples, o colo materno da confiança, a experiência de ser acolhido, acudido e, por isso, de poder arriscar o caminho do bem, de ousar viver bem, não sem uma certa ingenuidade e espírito lúdico, precisamente, da criança.
Tão gratos e tão implicados, chegaremos, assim, a nascer, não cessando de renascer pela vida que se aceita, uma e outra vez, receber-se de outro. Adultos, reaprenderemos a arte de recomeçar, como crianças.»

Pe. José Frazão Correia, sj

terça-feira, 24 de junho de 2014

SEMPRE A CAMINHO

«A experiência religiosa requer uma vigilância, um espírito crítico, um discernimento permanente, uma escuta profunda do Evangelho. (...) 

Seguir Jesus é assumir estar sempre a caminho na busca do rosto de Deus, é aceitar atravessar a noite escura do não ver. 

Encontrá-lo-emos na construção da paz e da justiça, na vida partilhada, na vida fraterna, no perdão, na compaixão. 

Encontrá-lo-emos na nossa imensa fragilidade, quando dentro de nós ressoa uma voz que nos diz: amo-te como tu és; põe-te a caminho de novo, vai, estarei sempre contigo!»

Carlos Maria Antunes, em "Atravessar a própria solidão"


domingo, 22 de junho de 2014

O AMOR DE CRISTO

«Qual é a perfeição acabada para o cristão? A plena manifestação de Cristo nas nossas vidas. 

Sem amor e compaixão pelos outros, o nosso aparente "amor" por Cristo é ficção.

Amar é deixar aqueles que amamos serem eles mesmos e não tentar moldá-los segundo nossa própria imagem. Caso contrário, amaríamos apenas o reflexo de nós mesmos.»

Thomas Merton, em "Vida e Santidade"


sexta-feira, 20 de junho de 2014

NOSSO PAI AMOROSO

«A nossa atitude espiritual, o nosso caminho de procura de paz e perfeição, dependem inteiramente do nosso conceito de Deus.

Se formos capazes de acreditar que Ele é verdadeiramente o nosso Pai amoroso, se conseguirmos realmente aceitar a verdade da sua infinita e compassiva preocupação por nós, se acreditarmos que Ele nos ama, não porque somos merecedores, mas porque precisamos do seu amor, podemos então avançar com confiança. Não seremos desencorajados pelas nossas inevitáveis fraquezas e fracassos. Podemos fazer tudo o que Ele nos pede.

Mas se acreditarmos que Ele é um austero e frio legislador, que não tem verdadeiro interesse por nós, um mero governante, um senhor, um juiz e não um pai, teremos grande dificuldade em viver a vida cristã.»

Thomas Merton, em "Vida e Santidade"

quarta-feira, 18 de junho de 2014

«(...) a incredulidade de alguns ateus está mais próxima do amor de Deus do que a fé fácil daqueles que, sem nunca tê-lo experimentado, penduram uma placa com o seu nome como se fosse uma fantasia infantil ou uma projeção do eu.»

Simone Weil

domingo, 15 de junho de 2014

AS RESPOSTAS DE DEUS

«Acredito apaixonadamente que tudo começa a mudar quando percebemos que Deus conta connosco para realizar coisas bonitas que não aconteceriam sem nós!

As respostas de Deus são sempre Pessoas: é assim que Deus actua na nossa história e Se mostra comprometido com o nosso mundo, suscitando Pessoas que são para o mundo autênticos Presentes de Deus. 

Deus não responde à nossa história escrevendo coisas no céu ou fazendo actos de poder maravilhosos, mas suscitando Pessoas para o serviço de um Mundo Novo, despertando Pessoas para uma Esperança capaz de ultrapassar impossíveis.»

Rui Santiago Cssr

quarta-feira, 11 de junho de 2014

SINTONIZAR A VIDA COM O AMOR


«Não procuremos sentidos para a vida constantemente, tentemos sim, sobretudo, sintonizar com o amor que nela ressoa. Isto é o mais importante. 

Que erro tão comum o de querermos articular a nossa vida com o sentido - quando devemos, simplesmente, sintonizá-la com o amor.»

Gabriel Magalhães, em "Espelho meu"

domingo, 8 de junho de 2014

A GRAÇA DO AMOR DE DEUS

«O que de mais elementar está em jogo, desde o início, é a graça de confiar que se é amado. E a perdição, a dúvida de o ser.» 

Pe. José Frazão Correia, s.j., em "A Fé vive de afeto"

sexta-feira, 6 de junho de 2014

«- Que é amar-se a si próprio?

- É amar a vida que temos em nós mesmos, ousar olhar e amar as riquezas que nos foram dadas gratuitamente.

- Que prova do amor de Deus para consigo recebeu?

- A vida.

Se Deus deixasse de me amar, eu deixaria de existir. É por isso, que a minha oração, frequentemente, é apenas pôr-me diante de Deus e deixar-me amar. Deixar-me criar. É fantástico! O Pai gera-me sem cessar sob o sopro do Seu amor.»

Michel Quoist

quarta-feira, 4 de junho de 2014

SOMOS ÚNICOS


«Cada um de nós é uma obra de arte original e querida no coração de Deus

Jesus, aquele Filho Único, não andou entre nós fazendo esse "na-na-na-na-na", "eu sou e tu não". 
Jesus passou entre os seus, sobretudo os últimos, fazendo-os sentir Únicos!

Quantos homens e mulheres, ao encontrar-se com Jesus, não se terão sentido, alguns pela primeira vez, Únicos?! Amados de maneira nova e única, tocados de maneira original e salvadora?

Aquele Filho Único de Deus passou entre nós fazendo-nos sentir que Deus nos ama a todos como Filhos Únicos. Porque, na verdade, para um Pai ou uma Mãe como o Deus de Jesus, todos os Filhos são Únicos.»

Rui Santiago Cssr, in "Estou em Crer"

domingo, 1 de junho de 2014

DEUS CONNOSCO

Assim escreveu magnificamente Elienai Cabral Jr:

«Jesus é a expressão de um Deus connosco e não de um Deus sobre nós...»

«Jesus é Deus à flor da pele»

quinta-feira, 29 de maio de 2014

A EVIDÊNCIA FUNDAMENTAL DO CRISTIANISMO



«Se existe mesmo Deus,

é aquele que se revela na minúcia grandiosa e relacional da Criação
e na Beleza da Vida dedicada e delicada de Jesus Cristo.

É um Deus que não sabe, e não quer,
e não pode fazer outra coisa menos que amar;
e não sabe, e não quer,
e não pode ser outra coisa menos que Amor.»

Rui Santiago Cssr, in "Estou em Crer"

terça-feira, 27 de maio de 2014

A LIBERDADE É A OBEDIÊNCIA AO AMOR


«Só nos tornamos verdadeiramente livres quando a nossa vida se transforma numa obediência irresistível e feliz àquilo que nos cativou o coração

Como logo descobre qualquer pessoa que dá os primeiros passos no amor, a Liberdade só acontece 
na Obediência àquilo que nos liberta...

A Liberdade é a Obediência ao Amor...

Quem não encontrou no seu coração motivos para dar a vida e gastar-se até à imprudência, ainda não começou a ser livre.

Quem não é capaz de se entregar verdadeiramente a ninguém nem é capaz de dedicar-se apaixonadamente a nada que esteja para além de si mesmo ou acima do seu próprio prazer e auto-promoção, precisa ser resgatado!»


Rui Santiago Cssr, in "Estou em Crer"

domingo, 25 de maio de 2014


"A Fé é mais a inquietação da Confiança que nos abre aos convites amorosos da Vida do que a ilusão controladora dada pelas certezas dogmáticas e disciplinares.

Não professamos a Fé "no que" acreditamos, o que é da ordem das certezas e, por isso, perfeitamente controlável... Professamos a Fé "em quem" acreditamos, o que é da ordem da confiança e, por isso, maravilhosamente surpreendente."

Rui Santiago Cssr, in "Estou em Crer"

sexta-feira, 23 de maio de 2014

MAL E CASTIGO


«O mal dá sempre sinal de si, pela infelicidade que nos toma quando com ele pactuamos. A infelicidade surge sempre como um sinal do mal em nós» 

Gabriel Magalhães, in "Espelho meu"




«A verdade é que o mal tem em si mesmo a lógica do castigo, quer dizer, gera consequências desumanizadoras e injustiças que causam sofrimento. Essas consequências não são acção de Deus nem vontade de Deus.
São as consequências sempre desastrosas daquele engano tão repetido: querer ser livre fora do território do Amor e querer ser Feliz sem pertencer a ninguém...

O castigo é isto... as consequências de injustiça e sofrimento geradas pela ilusão de uma Liberdade sem Amor e de uma Felicidade sem Comunhão...»


Rui Santiago Cssr, in "Estou em Crer"

terça-feira, 20 de maio de 2014

UM PAI QUE DÁ LARGAS AO NOSSO CORAÇÃO


«O mais próprio de alguém verdadeiramente criativo, ou criador, é que não se enreda em si mesmo porque anda com a vida ocupada a criar inéditos! 
Deus, em plenitude, é o Amor que se dá a nós com toda a Lealdade de um Pai Bom e cria um leque imenso de possibilidades para nos experimentarmos e realizarmos como filhos felizes e livres.

Temos a oportunidade de redescobrir a Fé como fonte de Alegria e Companhia, na confiança de um Pai que dá largas ao nosso coração. Andemos como bem-amados pela Vida, deixemos de vez aquela "fé inoxidável" de que fala o António Lobo Antunes para se referir à devoção das tias sempre tristes. Temos razões para não nos comportarmos como abandonados de Deus e deixarmos de fazer aqueles cultos que mais parecem reuniões de órfãos diante do divino tutor.»


Rui Santiago Cssr, in "Estou em Crer"

domingo, 18 de maio de 2014

NO CENTRO DA RELIGIÃO


«No centro da religião deve estar o Ser Humano, especialmente quando está em situação de sofrimento, e não uma Lei ou uma "Escritura" sacralizada em forma de letra. 
No centro da religião deve estar a Misericórdia e não a Lei; eis a cura de uma doença grave que costuma afectar-nos, chamada legalismo farisaico.»

Rui Santiago Cssr, in "Yeshuah"


quinta-feira, 15 de maio de 2014


«O sentido da existência não é prolongar a vida que morre, mas construir a vida que não morre.» 

«Em Cristo, somos imensos...porque a Vida segundo o Espírito é a existência sem confins...» 


Calmeiro Matias e Rui Santiago Cssr, em "Como um diário...também nos despedimos de quem amamos"

terça-feira, 13 de maio de 2014


«Pequenas Samaritanas, de todas as cores e feitios, de todas as raças e nomes, cruzam-se no caminho das nossas procuras e desejos. 

E Jesus sempre, paciente, na roda do poço onde vamos dar de beber à vida, a meter-se connosco e a entregar-se a nós. 

Se abrirmos bem os olhos, as mãos e o coração, a existência pode tornar-se um gesto de amor.»


Fonte: https://www.facebook.com/meac.guinebissau?fref=ts

domingo, 11 de maio de 2014

A AVENTURA DO BEM


«Mais importante que toda a educação do mundo é a sensibilidade aos sinais dos tempos e aos sinais dos irmãos, sensibilidade que se faça ousadia criativa, invenção de caminhos, alternativas! 


A Sensibilidade é a suprema competência humana, mais valiosa que qualquer outro saber e a Delicadeza é mais admirável que as "boas maneiras"...

Muitas vezes, aquilo a que chamamos "educação" não é mais do que domesticar o que há em nós de sensível e revoltoso diante da injustiça, do mal e da mentira.

O que não falta são pessoas "bem-educadas" mas não "Bem-Aventuradas". Esse sim é o propósito do Projeto de Jesus... a Bem-Aventurança, o desafio à Aventura do Bem, à Aventura de assumir como verdadeiro e possível o anúncio do Reino de Deus já Presente».

Rui Santiago Cssr, em "Como um Diário..."

sexta-feira, 9 de maio de 2014

NÃO HÁ NADA MAIS SAGRADO


«Não há nada mais Sagrado do que aquela espantosa humanidade com que nós somos capazes de nos tocarmos uns aos outros... Não há nada mais Divino do que um ser humano a realizar o melhor das suas capacidades, depois de ter descoberto que somos o que amamos e levamos os traços fundamentais do nosso Rosto não na nossa cara, mas nas palmas das nossas mãos e no tom das nossas palavras...

...Na Hora da Verdade não sentimos falta de quem tenha todas as chaves na mão e soluções na ponta da língua, mas quem tenha apenas mão para apertar e muito silêncio para nos dar.»

Rui Santiago Cssr, em "Como um diário...também nos despedimos de quem amamos"