segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

DENTRO DA NOITE


sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

UM PRESENTE DE DEUS


«Jesus é um Presente sonhado e preparado desde sempre, ideia presente já no Coração de Deus enquanto o Poema da Criação ia nos seus primeiros versos.
Jesus é um Presente de Deus necessitado de acolhimento e cuidado. Não apela primeiramente à nossa obediência, mas ao nosso carinho. Não puxa pelas nossas forças, mas mete-se com o que em nós há de mais entranhável, capaz de ternura e compaixão.»
Rui Santiago Cssr in Teologia da Beleza

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

A GRANDEZA DE DEUS

Ouvi contar esta história.
Uma criança com toda a naturalidade, voltou-se para Deus e perguntou-lhe:
"E tu, o que é que queres ser quando fores grande?"
"Pequeno", respondeu-lhe Deus, também com toda a naturalidade.

Os homens querem ser grandes, mas a grandeza de Deus está em tornar-se pequeno, em dar a vida, em desaparecer pelo bem do outro.
Vasco Pinto de Magalhães, s.j. in "Não há soluções, há caminhos"

domingo, 18 de janeiro de 2015

NÃO JULGAR

«Não julgar. 
Todos os erros são semelhantes. 
Existe apenas um erro: não possuir a capacidade de se alimentar da luz. 
Porque, estando esta capacidade anulada, todos os erros são possíveis.»

Simone Weil, in A gravidade e a graça

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

DEUS NÃO COMPARA

«Deus não compara. O amor não compara. Comparar é sempre julgar e julgar é já não amar, porque julgar é decompor um ser como decompomos um relógio nas suas engrenagens. É o contrário do amor.
A comparação fica sempre no plano do parecer, nunca no plano do ser.»
François Varillon, s.j. in A Mensagem de Jesus

sábado, 10 de janeiro de 2015

CONSTRUAMOS UM NATAL PARA TODA A VIDA


A esta hora, muitos presépios já foram desmontados.
A lição da manjedoura porventura já estará esquecida. 
Alguma vez terá sido aprendida?

Estiquemos o Natal a todo o ano. 
Construamos um Natal para toda a vida. 
Não apaguemos a luz que Deus acendeu em nós.
Não eclipsemos o sorriso. 
Cubramos o cinzento dos nossos dias com a luz do presépio, 
com o encanto da manjedoura, com a paz de Belém.

Deixemos brilhar, à nossa frente, a estrela da bondade. 
E deixemos, atrás de nós, um rasto de esperança.
Enfim, não arrumemos totalmente o presépio. 
Ele deixou de ser visível cá fora. 
Mas tem de continuar presente na nossa vida: aqui e agora.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

A FÉ EM DEUS

«A fé em Deus é expressa através de obrigações incansáveis para com o outro.»
Emmanuel Levinas

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014


«A fé sem interrogações críticas transformar-se-ia numa ideologia enfadonha e sem vida, numa intolerância infantil, ou num fundamentalismo e num perigoso fanatismo. No entanto, a racionalidade sem impulsos espirituais e éticos, que brotam do mundo da fé, tornar-se-ia igualmente parcial e perigosa, podendo transformar-se num cínico pragmatismo ou num rancoroso ceticismo.»
Tomás Halík, in "Paciência com Deus"

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

O DEUS CONNOSCO


«O Deus Connosco não aparece entre nós como um líder valente ou um chefe carismático que motiva em nós a vontade de lutar.
O Deus Connosco não aparece no meio de nós como alguém forte a provocar em nós a capacidade de obedecer.
O Deus Connosco aparece no meio de nós como alguém que quer provocar em nós a Sensibilidade, despertar o que há de mais íntimo em nós.
Deus vem visitar-nos para despertar em nós o carinho, a ternura, os sentimentos da nossa mais profunda humanidade.
Essa é a sua ideia… converter-nos, antes de tudo, à sensibilidade, à ternura, à doçura dos gestos, das palavras e das intenções.»

domingo, 21 de dezembro de 2014

A CRIANÇA É A MENSAGEM


«A criança é a mensagem.

Um Deus que entra em nossa vida desde a meninice é o mais crente de nós.
Acredita em recomeços.
Tem fé nos reinícios.
Adere aos nossos renascimentos.
O bebê é Deus dizendo: Faça como eu, recomece sempre que um novo início for a salvação.
Ele não é o outro que vem a nós.
É o menino que vimos crescer.
Não chega. Nasce.
Não se impõe. Entrega-se.
Não reivindica. Serve.
Não esmaga. Mistura-se.
Conta histórias para contar-se entre nós...
Não intimida. Seduz.»

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

«Aquele que ensina o bem aos outros sem o praticar é como um cego que segura uma lanterna.» (Provérbio Argelino).
«Somos chamados a ser cristãos que surpreendem e que despertam os sonhos e desejos dos que dormem na passividade.
Este é o momento, aqui e agora, para sairmos fora, na noite, e anunciarmos um cristianismo embalado numa canção de amor e fraternidade que “faça acordar os homens e adormecer as crianças.»

terça-feira, 16 de dezembro de 2014



«Sim, acreditar num Deus que não vemos também significa, no mínimo, esperar que Ele esteja onde nós não o podemos ver e, muitas vezes, onde estamos absolutamente convencidos que Ele não está nem poderia estar.»

Tomás Halík, in "Paciência com Deus"

sábado, 13 de dezembro de 2014

SERVIR OS QUE MAIS SOFREM


«Uma civilização vive na medida em que respeita a lei: servirás, primeiro, os que mais sofrem. A partir do momento em que essa civilização serve, em primeiro lugar, os mais poderosos, encaminha-se rapidamente para o suicídio. (...)
Servir primeiro o mais fraco, seja ele quem for. É essa a chave da sociedade ideal, quer se trate de uma família, de uma comunidade ou de uma nação.»
Abbé Pierre, in "Queria ser marinheiro, missionário ou vagabundo - Diário íntimo inédito"

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

A VINDA DE DEUS


«A vinda de Deus não é apenas o nascimento de uma criança; é a vinda de uma Palavra. Poderia mesmo dizer-se que é a vinda de uma Língua.»
Timothy Radcliffe, in "Ser Cristão para quê?"

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

OUVIR O CORAÇÃO

«Ter coragem é ouvir o coração, falar desde o coração e agir de acordo com o coração. O coração, centro de nosso ser, é a sede da coragem.»
Henri nouwen

domingo, 9 de novembro de 2014

A FORÇA DE UM REINO



"Quando a força de um reino é o amor, todos reinam, 
pois o amor é comunhão e nunca imposição."

Rui Santiago Cssr, in Salmos para o Terceiro Milénio 2, 2010

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

UM ENGANO TANTAS VEZES REPETIDO


«Um engano tantas vezes repetido: querer ser livre fora do território do Amor e querer ser Feliz sem pertencer a ninguém.»
Rui Santiago Cssr in "Estou em Crer"

sábado, 1 de novembro de 2014

AQUELE QUE VIVE NO AMOR

«Aquele que vive no amor, mesmo tendo poucas coisas, vive na abundância.
Amado, é livre. 
Por isso, não teme. 
E, não temendo, não precisa de acumular coisas, 
nem de fingir ser o que não é, 
nem de recear o amanhã. 
Não se incha, querendo ser o que não é. 
Não se diminui, deixando de ser o que é. 
Esvaziado de «coisas incertas», vive de graça. 
Na verdade, vive a graça.»

P. José Frazão Correia, in "Entre-tanto"

terça-feira, 28 de outubro de 2014

«Não entendemos bem 
as palavras, sinais e escolhas de Jesus 
na perspectiva de uma "religião", 
mas sim na lógica de um PROJECTO.»

«É possível o homem criar deuses à sua imagem e semelhança. Deuses sim, mas não Jesus, cujo caráter não é comum entre nós.»

sexta-feira, 24 de outubro de 2014


«Deus está presente, Cristo está presente, em toda parte em que um ato de virtude transcendente ocorra entre dois seres humanos.» 

Simone Weil

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O HUMANO, NADA MAIS DO QUE O HUMANO

“O mundo atinge a vida por um simples sorriso confiante, por um pouco mais de calor humano (…). O humano, nada mais do que o humano, porque o divino, não é o sobre-humano, mas aquilo que é mais raro entre os homens, o humano levado ao extremo.” 
Jean Cardonnel (*), “Deus toma partido”, Paisagem (Porto), 1971.

(*) padre dominicano (1921-2009)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

OS IRMÃOS


terça-feira, 14 de outubro de 2014

O INSTANTE


«Só nos resta o instante; só o instante nos pertence. 
Ele é o barro onde a vida se molda e descobre. (...)»

José Tolentino Mendonça, in "Mística do Instante"

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

UM GRANDE CONSELHO


"Não me leves a mal dizer isto assim mesmo: só considero digno de Fé um Deus divertido e feliz. Porque a Fé é uma Comunhão de Vida com Ele, e não há comunhão possível sem leveza e alegria, não há vida capaz na seriedade patológica de uma certa sacralidade que pouco guarda já da práxis do Nazareno. Esta minha intuição foi confirmada há uns tempos quando uma amiga minha me contou que, ao entrar na “idade casadoira”, foi chamada pela avó lá a casa. Uma avó daquelas sábias, que a tinha criado, e que sabia falar na altura certa a palavra certeira. Chamou-a para lhe dar este conselho:"Minha filha, lembra-te disto: nunca te cases com um homem que não te faça rir!” É, ou não é, um grande conselho?"

Rui Santiago Cssr, em "Estou em Crer"

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A VERDADEIRA CARIDADE


«A verdadeira caridade não consiste em chorar nem, simplesmente, em dar, mas em agir contra a injustiça.


Ser caridoso não é apenas dar, é ter sido ferido, é estar ferido pelo ferimento do outro.» 

Abbé Pierre

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A GRAÇA MAIOR

«Tenho para mim que a Graça maior que nos pode acontecer na vida é percebermos que, o que nos salva não é a ambição. Nem o ter. Nem o poder! Muito menos o comprar! (...)

ter/ser coração de pobre é viver vazio e liberto de si mesmo para, alegremente e com leveza poder debruçar-se sobre o outro, ser dom para ele e… receber-se de volta, inteiro…

É aprender a dar Graças por não ter. Um não ter que seja uma porta aberta para a generosidade e para a presença gratuita de inimagináveis irmãos que, ao visitarem-nos a vida, ficam a fazer parte dela de modo irrecusável e reciprocamente agradecido.

Quanta falta ISSO faz ao homem moderno, que habita as nossas cidades, que enche de empurrões, desalentos, angústias e triste abandono o Metro e os transportes públicos… Só quem não os costuma usar é que não dá por isso… Quantos olhos tristes e desabitados! Sem sombra de Gente dentro deles…»

Podem ler o texto completo em:http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2014/09/os-espertos-os-ricos-e-os-totos.html

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

ACREDITAS NA VIDA ANTES DA MORTE?


"O verdadeiro problema não é o de saber se viveremos depois da morte, mas o de saber se estamos vivos antes de morrer"

- Marie de Hennezel, in «Morrer de Olhos Abertos»

domingo, 21 de setembro de 2014

A ARTE DE RECOMEÇAR, COMO CRIANÇAS


Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?

João 3:3-4

«Voltar a nascer não significa regressar ao ponto de partida e começar, outra vez, tudo do zero. A publicidade tenta enganar-nos, garantindo-nos que é possível. Mas a realidade desmascara-lhe a falsidade.
Nicodemos de oitenta anos não voltará a ser Nicodemos de oito. Os ponteiros da vida não param. O que se viveu não se anula, não se apaga, nem é ideal de vida viver fazendo de conta que se vive. Ao mesmo tempo, o melhor também não é necessariamente o que ficou para trás, tal como a pele lisa do bebé e as suas mãos mimosas não são mais belas do que o rosto enrugado ou as mãos deformadas de um ancião. A beleza da vida também se diz nas marcas que assinalam o corpo, este lugar de memória. (...)

Se, como disse alguém, «o verdadeiro paraíso não é, nunca é [...] aquele perdido, mas o reencontrado», o verdadeiro nascimento será aquele que não cessa de gerar e de trazer à vida. Da velhice do coração e da mente, à infância do afeto e da imaginação. Da rigidez e do torpor dos gestos, ao estilo de vida leve e gracioso. Da conquista, a todo o custo, da terra e do céu, do tempo e dos lugares, do conhecimento das coisas e do apreço dos demais, ao reconhecimento feliz de que «a rosa é sem porquê, floresce porque floresce», «não se preocupa consigo mesma, não procura nada ser vista», como disse tão bem A. Silesius.

A infância desejável tem que ver com este ambiente vital das coisas simples, o colo materno da confiança, a experiência de ser acolhido, acudido e, por isso, de poder arriscar o caminho do bem, de ousar viver bem, não sem uma certa ingenuidade e espírito lúdico, precisamente, da criança.
Tão gratos e tão implicados, chegaremos, assim, a nascer, não cessando de renascer pela vida que se aceita, uma e outra vez, receber-se de outro. Adultos, reaprenderemos a arte de recomeçar, como crianças.»

Pe. José Frazão Correia, sj

terça-feira, 24 de junho de 2014

SEMPRE A CAMINHO

«A experiência religiosa requer uma vigilância, um espírito crítico, um discernimento permanente, uma escuta profunda do Evangelho. (...) 

Seguir Jesus é assumir estar sempre a caminho na busca do rosto de Deus, é aceitar atravessar a noite escura do não ver. 

Encontrá-lo-emos na construção da paz e da justiça, na vida partilhada, na vida fraterna, no perdão, na compaixão. 

Encontrá-lo-emos na nossa imensa fragilidade, quando dentro de nós ressoa uma voz que nos diz: amo-te como tu és; põe-te a caminho de novo, vai, estarei sempre contigo!»

Carlos Maria Antunes, em "Atravessar a própria solidão"


domingo, 22 de junho de 2014

O AMOR DE CRISTO

«Qual é a perfeição acabada para o cristão? A plena manifestação de Cristo nas nossas vidas. 

Sem amor e compaixão pelos outros, o nosso aparente "amor" por Cristo é ficção.

Amar é deixar aqueles que amamos serem eles mesmos e não tentar moldá-los segundo nossa própria imagem. Caso contrário, amaríamos apenas o reflexo de nós mesmos.»

Thomas Merton, em "Vida e Santidade"